sábado, 12 de fevereiro de 2011

Eu conhecí o pequeno príncipe

                                



O nome dele é Juan, e ele tem inacreditáveis dois aninhos. Eu o conheci no Hospital da Baleia durante o meu terceiro ciclo de “quimio”. Ele tem um tumor no cérebro e estava no hospital tentando se adaptar ao tratamento quimioterápico. Uma figura doce que me fez aliviar o coração da minha própria dor, a mim e a todos que o conheceram. Ele tem um tumor, é quase um bebê, e fala coisas de encantar qualquer um. E o  Juanzinho veio no meu quarto me visitar: “ e ai você tá jóia?” me perguntou aquele doce bebê. “Eu tô e você?”. Resposta: “ele não tá bem hoje não”. “Por que Juan?” “Ele perdeu o acesso.” Geeeeente, pára tudo! ele fala na terceira pessoa, de um jeitinho mais adorável de ser.  Nos surpreendia com sua força, e quando passávamos na porta do quarto dele ele dizia: “Vem ver o  Juan, vem!” Quem não se derretia todo por esse pequeno príncipe? Juan é super inteligente e esperto, e na verdade não “adorava” as enfermeiras pois tinha medo. “Não machuca o  Juan”, ele dizia. Mas como alguém ia poder machucar essa fofura? Ele encantava a todos, adorava pedir coisas: “ Tia Paula o Juan quer dinheiro”, falava com a enfermeira. “ Gente, ele tá com fome, ele quer pão”. Uma ótima dele é que a mãe, por não saber o nome de uma moça da limpeza da qual ele gostava muito, disse a ele que ela era a tia “Zoiuda”. Assim que ela entrou no quarto o Rhuan disse: “Tia Zoiuda, o Juan quer bolo redondo”. O bolo redondo é panetone, pois era época do Natal e ele tinha experimentado e adorado. Esse “Tia Zoiuda” foi tudooo! Ele parecia que tinha uma “bateria” ligada e que nunca descarregava, nunca acabava, e isso que me fez cada dia mais gostar dele. No dia que eu ganhei alta fui me despedir do Juan. “ Não vai embora não, não deixa o Juan aqui não”. Ele disse todo tristinho. “Eu volto pra te ver” eu respondi e meu coração ficou apertado diante daquele pequeno esboço de gente grande. Eu estava com um presente que eu iria dar à minha médica, ele como sempre “pidão” disse: “ Ele quer presente”. Como não ceder a um apelo desses? Eu não tinha nada, mas me lembrei de uns lápis decorados, da loja da tia Tetê. Peguei um e ofereci à ele. Ele olhou para o presentinho, olhou para o que eu tinha nas mãos e eu perguntei: “E aí Juan, gostou?” O espertinho: “ele não gostou não, ele quer o outro”. Claro, pois o embrulho era muito maior.

Esse foi o meu encontro com uma versão real do Pequeno Príncipe. Que falava na terceira pessoa, que tinha uma palavra na ponta da língua, e cuja imagem jamais vou esquecer. Quando voltei ao hospital da baleia tive noticias do Juanzinho. O estado dele havia se agravado por causa de uma infecção e foi transferido para o CTI de outro hospital infantil. Atualmente está se recuperando e eu espero rever a sua carinha doce.

14 comentários:

  1. Eu estou amando cada post. A cada parágrafo eu lavo a minha alma e o meu coração vai ficando cheio de amor e de esperança. Mas esse post...
    Mexeu profundamente com minhas emoções. Você sabe que no meu trabalho eu atendo criaturas incríveis como esse pequeno príncipe. Pequenos com outras dores... Para se safar, muitas vezes, nomeiam um outro "eu" ("Ele não está bom não". Deve ser o anjo da guarda que fala por eles, po que fica juntinho deles, ajudando-os a seguir em frente.
    Eu também ví o Pequeno Príncipe!
    Beijos,
    Dinda.

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. AAAAAAAAA NOS VIMOS O PEQUENO PRINCIPE *---*

    ResponderExcluir
  4. Sandra
    Uma maravilha passar por aqui
    beijos


    Tento agradecer a visita e dizer que só assim são possíveis os 90.000

    o selo foi feito com amor. A Amizade também.
    Eu sei que é difícil ter amigos de verdade porque este tempo de querer caminhar de qualquer modo é muito complicado.
    EU... NESSE ASPECTO TENHO AMIGOS DE VERDADE EMBORA POR VEZES TENHA SURPRESAS MAS ESSE É O Tal mundo cão...

    agora para os meus amigos
    Um beijo do tamanho do MUNDO...e vamos continuar a abraçar-nos.. e a dizer...Gosto de ti...

    LILI LARANJO

    ResponderExcluir
  5. Dessa história real de monstros, príncipes e bárbaras princesas eu já sei o final e diz assim:..."e viveram felizes para sempre!".

    ResponderExcluir
  6. Há um passarinho vaidoso que se vem empoleirar na minha janela, essa janela amoldura-me o mar ao longe, recortando-se o passarinho em todo aquele azul de céu e mar. Esse passarinho naquele jeito de quem conta vantagem diz-me que já caiu do ninho e estufa o peito em mais um trinado colírio e orgulhoso. A asinha dele quebrou na tentativa de voar, ficou aflito no chão piando de dores, e saudade do conforto do ninho onde sua mãe lhe alisava as penas com desvelo e seu pai lhe debicava os petiscos favoritos.
    Os pais aflitos correram em seu auxilio, dos ninhos vizinhos desceram tios e tias irmãos de seus pais, seus irmãos lá no ninho piavam meigos num incentivo que contagiou os ninhos vizinhos criando de volta do passarinho uma corrente tal, que embora ainda em perigo lhe tirou as dores e lhe acalentou esperanças. Uma tia sabia contar histórias, outra sabia cantar como ninguém ou um outro ainda era meigo e solicito aos caprichos do doentinho passarinho. Num cantinho da sebe do jardim acomodaram-no e lá do alto velavam-lhe o sono que passou a ser cada vez mais tranquilo.
    Um dia quando a asinha ficou boa todos o incentivaram a retomar a sua experiencia de voo, primeiro timidamente, depois já mais confiante o passarinho cruza os céus, livre, alegre e feliz. O tombo do ninho não é mais que uma recordação, o carinho que recebeu não é mais que o dever de uma família feliz e ele aprendeu essa lição de amor enquanto corta o vento rumo ao infinito. No outro dia poisou de novo aqui acompanhado de uma pardalinha, sua namoradinha diz ele, e perguntou-me apaixonado: “ela não é BÁRBARA?”

    ResponderExcluir
  7. Jaber que linda essa história, e é a realidade da vida de todos nos, qe sempre passamos por autos e baixos, mas sempre teremos apoio e ajuda para nos levantar e seguir em frente, afinal nada é por acaso e Deus só nos dá aquele fardo que ele sabe, que por mais dificil que seja nos vamos conseguir carregar. Sou o passarinho alimentado pelo amor dos meu amigos! Beijos

    ResponderExcluir
  8. Sensível, Jaber.
    Sensível, Bárbara.
    Sensível, eu.

    ResponderExcluir
  9. Que liiiiiiiindo! Quero conhecer o pequeno principe também *-*

    ResponderExcluir
  10. EU CONHECI O PEQUENO PRINCIPE, EU GEREI, VIVI LUTAS SUPERADAS, DIAS MARAVILHOSOS, MOMENTOS INESQUECIVEIS... EU AMEI IMENSAMENTE...
    OBRIGADA DEUS!!!

    ResponderExcluir
  11. agradecido a todos por todo apoio

    ResponderExcluir
  12. tbm conheci o pequeno principe, como nao poderia conhe-lo sou o pai dessa bençao q Deus colocou em nossas vidas,um grande guerreiro q infelizmente nao esta mais aki conosco ,a nao ser e claro em nossos corações, Deus enviou o juan para cumpri uma missão aki na terra, essa missão durou apenas 3 anos hj ele faz parte do reino de Deus , so tenho a agradecer a Deus por ter nos deixado conviver com ele por esse tempo, com certeza aprendi muito com ele e ainda aprendo muito com ele . queria q todos soubesse q amei muito meu filho e continuarei amando eternamente.
    fizemos um video em homenagem ao juan se alguem se interessar em ver o link esta ai a abaixo:
    http://www.youtube.com/watch?v=rO3vfCFKKMU

    ResponderExcluir
  13. Parabéns ...boa visão sobre esta criança adorável!

    ResponderExcluir